O primeiro passo para quem quer começar a competir, seja em provas nacionais ou internacionais é conhecer as regras do jogo!

Por isso preparamos este especial e podemos iniciar esta conversa dizendo que de uma maneira geral, salvando algumas variáveis as competições de surf e kayaksurf são muito semelhantes nas suas regras básicas:

 

- Baterias de 20min (variação de no min. 15min e no máx. 30min)

- Até 10 ondas por atleta

- Somatória das 3 melhores ondas (obs.: algumas competições descartam a melhor e pior onda)

Critério de pontuação baseado no tamanho da onda, manobra excutada, momento crítico da excução da manobra, aproveitamento da onda e penalidades

- Bancada formada por 4 juízes + um chefe

- Baterias com 4 atletas onde 50% passa para fase seguinte e os demais "caem" para repescagem

 

Nas competições interncaionais temos ainda:

 

- Duas classes definidas pelo tipo de caiaque:

 "High performance" - caiaques sit in top menores de 2,75m – pode utilizar quilhas

 "Internacional class" - caiaques sit in top sem quilhas com comprimeto superior a 3m

- Regras de segurança (especificações de segurança do caiaque) e obrigatoriedade do uso de colete e capacete

- Todos os caiaques passam por uma inspeção para validação da inscrição (foto abaixo)

- Existem também a prova por equipe onde os atletas de cada país e de todas as categorias se unem para defender sua bandeira

- Categorias masculino opem, feminino, master e junior

 

No Brasil as competições de kayaksurf são regidas pela Confederação Brasileira de Canoagem, através do comitê da "Canoagem em Ondas" que engloba provas conjuntas de kayaksurf e waveski.
Existem duas categorias: OPEM e INICIANTES e a restrição dos caiaques acontece somente na questão da obrigatoriadade de ser um modelo sit in top (fechado)

 

>> Fica aqui a sugestão para uma regra internacional não aplicada no último Campeonato Brasileiro no qual o KAYAKSURF CLUB acredita ser de extrema importância para o esporte: O USO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA pelos atletas. 



Escrito por Bebeta às 13h06
[ ] [ ]


Check boat durante a Festival Internacional de Santa Cruz 2007 na Caliórnia

 

 

Algumas observações já pontuadas desde o mundial de 2003 (fonte: kayaksurf.net):

 

- Para a "Internacional class" manobras como 360º e backsurfing NÃO são pontuadas

- Manobras de rodeo efetuadas na espuma NÃO são pontuadas

- Não é atribuida qualquer manobra feita ou finalizada fora da onda.

- A conclusão da manobra deve ser feita quando a onda quebrar por completo e não no início de sua formação.

 

----------------------------------

 

:: Conheça as regras :: 

 

Clique aqui para ler as regras das competições nacionais 

 

Clique aqui para ler as regras das competiçoes internacioanis

 

----------------------------------

 

 

 

Conversamos com Mario Silveira, diretor da Podium Esportes, responsável pela organização das provas de "Canoagem em Ondas" no Brasil desde 1996, que englobam as provas de kayaksurf e waveski. Mario também é membro consultivo do Comitê de Canoagem em Ondas da CBCa, além de ser um dos craques do waveski nacional 

Ele contou pra gente como funciona a questão do julgamento nas competições

 

KC - Como funciona a escolha dos juízes e esta parte da organização dos eventos da CBCA?

MS - Geralmente indicamos um Head Judje com conhecimento e experiência no Kayaksurf e Waveski, os demais juízes costumamos contratar aqueles da Federação ou Associação Local de Surf. Como nosso esporte é uma dissidência também do surf optamos por contratar juízes de surf, sendo esses monitorados por Head Judjes (juízes principais) com notório conhecimento de nossa modalidade (Kayaksurf e Waveski)

KC -  Você percebeu uma evolução quanto ao conhecimento dos juízes no que diz respeito as manobras de kayaksurf e waveski desde a primera competiçào nacional de vc organizou?

MS - Sim. O mais difícil para os juízes, ao meu ver, foi separar os graus de dificuldades das manobras. Uma manobra que para o surf pode ser difícil, pode ser fácil para nosso esporte. Cito como exemplo o aéreo para o Waveski, que é mais fácil do que o aéreo no surf. E o 360 graus para o Kayaksurf, que é bem mais fácil para o Kayak do que para o Surf e para o Waveski. 

KC - Vc vê diferença entre na questão do julgamento nas competições nacionais e internacionais?

MS - Sim. Vejo maior diferença no Kayaksurf, pois na Internacional Class os juízes costumas dividir a onda em partes como: drope, linha, distância, manobra e finalização. Já no Waveski, assim como no surf e no Kayakl Surf Hig Performance (que é o que praticamos no Brasil), o critério é mais subjetivo.  

KC - Vc acha que a avaliação das baterias de surf em geral abrem espaço para diferentes interpretações dos juízes podendo haver distorção no resultado final?

MS - Sim, basta pegarmos como exemplo o surf. O Surf está em um estágio muito mais profissional que o nosso esporte  e até hoje presenciamos campeonatos onde os juízes, literalmente, puxam brasa para os locais do pico. É assim no Havaí e na Austrália, por exemplo, onde os Brasileiro são sempre prejudicados pelos juízes. A presença do Head Judje tem o intuito de nivelar as notas dentro de um padrão, mas mesmo assim o critério é muito subjetivo. Porém, ressalto que se o atleta realmente “quebrar no surf” fica difícil dos juízes contestarem

VALEU MARIO, OBRIGADO PELA SUA PARTICIPAÇÃO!!!



Escrito por Bebeta às 16h48
[ ] [ ]


A polêmica do julgamento nas competições são antigas e famosas em qualquer modalidade ligada ao surf. É comum lermos matérias nas revistas de surf sobre atletas brasileiros se dizendo injustiçados no WCT ou WQS. Também não é raro encontar algum atleta que diz que o que foi colocado na papel não condiz com o que aconteceu na água. Qual é a real? Avaliação subjetiva, falta de profissionalismo, protecionismo ou apenas uma boa desculpa de que não passou na bateria? Veja algumas opiniões. Fizemos a pergunta:

Vc acha que a avaliação das baterias de kayaksurf e surf em geral abrem espaço para diferentes interpretações dos juízes podendo haver distorção no resultado final?

 LUIZ PEDRO – EDITOR KAYAKSURF.NET

Não há critérios de avaliação perfeitos... mas o kayaksurf está a atravessar uma fase crucial neste aspecto. Mais do que a tal "distorção" nos resultados finais, o que mais me preocupa é a formação do júri das provas de kayaksurf. Em Portugal, por exemplo, estamos num impasse. Não há formação de júris de raíz e há só uma prova com juízes de surf acreditados pela Federação Portuguesa de Surf (Santa Cruz). Nas restantes provas, contamos com a boa vontade de kayaksurfistas da casa. Esta situação leva-nos para uma outra não menos polémica... onde encaixa o kayaksurf: organismos autónomos, federações de canoagem ou de surf? Claro que a formação dos júris terá que ser com base no surf mas então... como vai uma federação de canoagem formar júris de surf? Usamos um kayak, uma pagaia mas temos que respeitar as regras e etiqueta de um outro desporto para o qual é necessária uma outra sensibilidade e formação. É aqui que temos que evoluir... na formação de uma nova geração de júris. Podemos aprender muito do que já foi feito no surf. Um exemplo fundamental: no final de cada heat, a divulgação imediata das pontuações dos atletas que estão na água. Simples e eficaz. Claro que este método, como se vê no WCT ou no WQS, não descura a hipótese de termos polémica e acesas discussões entre júris e atletas! Mas, como disse no início... não há critérios perfeito. Resumindo, vamos absover ao máximo o que o surf já evoluiu neste campo e investir numa formação de raiz para o kayaksurf. A evolução só pode ser positiva! 

  MARIO SILVEIRA: ATLETA / COMITÊ CBCA

Sim, basta pegarmos como exemplo o surf. O Surf está em um estágio muito mais profissional que o nosso esporte  e até hoje presenciamos campeonatos onde os juízes, literalmente, puxam brasa para os locais do pico. É assim no Havaí e na Austrália, por exemplo, onde os Brasileiro são sempre prejudicados pelos juízes. A presença do Head Judje tem o intuito de nivelar as notas dentro de um padrão, mas mesmo assim o critério é muito subjetivo. Porém, ressalto que se o atleta realmente “quebrar no surf” fica difícil dos juízes contestarem.  

  ROGERIO CRUZ:  ATLETA / COMITÊ CBCA

Com a experiência em 14 mundiais posso dizer que na teoria o julgamento de surf é feito de uma maneira que é difícil vc não ter um resultado coerente , a não ser que os três juízes e o hed judge estejam macomunados, se eles são juízes profissionais sabem diferenciar bem, o que pode acontecer é uma falta de conhecimento de determinada modalidade gerar um mal julgamento , é por isso que em todos os campeonatos que realizei faço uma reunião com eles para esclarecimento."

  MAURÍCIO BORSARI - ATLETA

Bom em relação a questão, se entendi bem eu também acho totalmente uma avaliação de performance aberta , isto quer dizer, pode haver diferentes interpretações para a mesma execução de manobra e que com certeza influência no resultado final. Isto é muito famoso no meio do surf, pois durante muito tempo tipo nas competições nos anos de 70 e 80 os campeonatos de surf eram super polêmicos, pois existia a rivalidade entre o pessoal do sul do rio e de sp e também o pessoal do norte como o surfista Jojó de olivença, e também a nível mundial entre americanos australianos europeus e o resto como África do sul com Shaum Tompson e Brasil que ensaiava as primeiras aparições do Fabio Gouveia e eram sempre campeonatos com resultados polêmicos e muitas reclamações sobre a arbitragem, estou falando assim pois li uma matéria sobre isto do cara que hoje é o boss da arbitragem da ASP falando exatamente isto e que só resolveram este assunto quando o meio começou a se profissionalizar e eles sentiram a necessidade de investir em congressos de arbitragem de surf até conseguir uma classificação e  padronização nos critérios a serem julgados, e ele diz que continuam investindo na formação de mais juízes distribuídos pelos diferentes continentes .Depois disso quero dizer que com a gente é a mesma coisa que o resto do mundo, e acho que só será eliminado este elemento ou pelo menos amenizado quando existir demanda no seguimento que permita alguém investir a ponto da CBCA poder fazer tipo uns congressos para parametrisar os critérios, pois hoje ainda é na base da amizade ou do localismo mesmo quando pagam juízes para arbitragem .

  GUSTAVO ENNES: ATLETA

 

Sou da opinião sobre o julgamento das competições de que qualquer pessoa com experiência pode avaliar as performances tanto do kayak surf como também das outras modalidades tais como surfboard. Para mim a onda é a mesma como uma tela a ser projetada nossas impressões, o aproveitamento requer as mesmas premissas e a plasticidade é a identidade de cada um. O que me parece óbvio é que se deva levar em consideração a referência entre um atleta e outro que se encontram disputando a apreciação dos juízes, o nível das condições das ondas e a capacidade de harmonização com o meio.

Ou seja, acho que não interferem pois as diferenças apresentadas devem conceber a interpretação subjetiva de cada individuo que estiver a julgar e deva ser legitimada.

  ROBERTA BORSARI: ATLETA / IDEALIZADORA KAYAKSURF CLUB

As questões de arbitragem sempre geram polêmica, pois todos os atletas investem muito de si numa prova e a avaliação do surf como um todo acaba sendo subjetiva por mais que tenham regras de pontuação e etc... Pelo que já vivenciei em competições acredito ter distorções sim. Treinamento, atualização, conhecimento da performance e técnicas específicas do kayaksurf por parte dos juízes são alguns dos fatores que contribuem para a profissionalização neste segmento. É importante ter investimento nesta área, ter um evento legal, com boa organização, mas também investir em juízes profissionais conhecedores da evolução do esporte, e de preferência de estados ou países diferentes para evitar regionalismos. Se bem que, se tiver alguém mal intencionado, não há treinamento que resolva. É difícil, mas temos que caminhar neste sentido para profissionalizar o esporte como um todo.



Escrito por Bebeta às 16h46
[ ] [ ]


A ETIQUETA DO SURF TAMBÉM ESTÁ NAS COMPETIÇÕES. FIQUE ATENTO!!!

A quebra das regras da etiqueta do surf está sujeito a penalidade e perda de pontuação durante as competições.
Veja abaixo algumas situações citadas pela Associação Mundial de Kayaksurf
onde o caiaque verde (A) tem a preferência na onda em relação ao caiaque vermelho (B)
 
:: FOTOS DE CAMPEONATOS ::
 
Clique aqui e vejas as fotos da Copa do Mundo 2006
 
Clique aqui e veja as fotos do Festival Internaciona de Santa Cruz 2007
 
Clique aqui e veja as fotos do Mundial de kayaksurf 2007
 
Clique aqui e veja as fotos do Campeonato Brasileiro de Canoagem em Ondas 2007
 
Em breve vc verá também as imagens do Festival Internacional de Esportes de Onda. Aguarde!
 
 
 
 
 


Escrito por Bebeta às 16h42
[ ] [ ]


O kayaksurf está nas ondas do rádio! A Mitsubishi FM,  nova emissora que traduz o espírito de liberdade, unindo o gosto pela aventura e a emoção de transpor os obstáculos, com muita música, esportes de aventura e conteúdo, abre espaço para o nosso esporte e entrevista Roberta Borsari.

Sintonize 92,5 Mhz, neste sábado (12/07) 8:00h ou ouça o compacto ás 18:00 e boas ondas!



Escrito por Bebeta às 13h44
[ ] [ ]


KAYAKSURFERS BRASILEIROS:

GUSTAVO ENNES DE ALMEIDA

Gustavo é o representante brasileiro da “internacional class”! Na era dos caiaques cada vez menores existem os canoístas apoixanados por esta categoria, e não trocam de caiaque por nada! Para quem não sabe, esta é a classe dos caiaques maiores de 3m de comprimento que não utliliza quilhas...modelo adorado por americanos e europeus mas muito pouco conhecida no Brasil. Vale lembrar que nos mundiais e provas internacionais de kayaksurf existem duas categorias: "internacional class" e "high performance" (caiaque menores de 3m). Para quem ainda não viu um excelente drop neste caiaque, apoveite as imagens do canoísta carioca

 



Escrito por Bebeta às 22h55
[ ] [ ]


4o. ENCONTRO PAULISTA DE WAVESKI & KAYAKSURF

 A galera de São Paulo não para e a agora agita mais um encontro para praticantes de kayaksurf e waveski. O local escolhido é o Cantão de Itaguaré no litoral norte paulista no dia 9 de agosto.

VAMOS PARTICIPAR!!!!

Mais informações: Gilberto Alvesgfilgueira37@yahoo.com.br  ou Roberto de Souza - charless45@yahoo.com.br



Escrito por Bebeta às 22h52
[ ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Outros sites
 KAYAKSURF CLUB
 KAYAKSURF.NET - NEWS
 MEGA TEAM - Blog!
 KAYAKSURF CHILE - Blog!
 SURFZONE - Fórum!
 CBCA
 WAVES - previsão ondas
 WINDGURU - pvs. ondas
 WSKA
 HIDRO 2
 BRUDDEN
 CAIAKER
 GATH - Capacetes!
 MEGA KAYAKS
 WEBVENTURE
 WEATHER CHANNEL
 CLIMA TEMPO