Escrito por Bebeta às 19h22
[ ] [ ]


 

DESCONTO EM PRODUTOS MORMAII SAÚDE

A parceria entre a Mormaii Saúde e SUPtravessias agora rende 30% de desconto em toda linha de cosmético,

protetor solar e na linha pós sol. É só acessar o link: 

www.mormaiisaude.com.br/parceiros/suptravessias  Aproveite!


 



Escrito por Bebeta às 08h05
[ ] [ ]


 

PARTINDO PARA O SANTA CRUZ PADDLE FEST

Todas as informações em: www.kayaksurf.net/news


 



Escrito por Bebeta às 00h45
[ ] [ ]


PRIMEIRO TOP OF MIND SUPCLUB BRASIL

 

No dia 20 de janeiro de 2012 foi realizado a primeira premiação de SUP do país pele belíssima iniciativa do SUPCLUB. Nomes do esporte em diversas categorias foram homenageados e também escolhidos por juri popular para fazer parte da história deste esporte.

Fiquei honrada de ter sido lembrada e ter entrado na lista feminina do SUP brasileiro e ter recebido a placa pela terceira colocação na categoria SUP GIRL, com tantos nomes relevantes foi muito gratificante.

Veja matéria completa do evento e premiação no link abaixo:

http://supclub.com.br/1o-top-of-mind-supclub-faz-historia/

 



Escrito por Bebeta às 00h39
[ ] [ ]


NOVO SITE SURF TRAVEL

 

Clique na imagem para ir para o site

Vale conferir o site novo da Surf Travel, a operadora que organiza todas as minhas viagens. Desde os destinos tradicionais de surf até os lugares mais inusitados. Já fui para Califórnia, Hawaii, Costa Rica, Espanha, Portugal e vários outros lugares, tudo organizado pela STC. Em 2006 eu tinha um campeonato em uma ilha na França que ficava a 8 horas de carro de Paris, meu patrocinador queria que eu viajasse com a operadora deles e fiz uma cotação. Esta operadora propôs que eu viajasse de trem, mesmo sabendo estaria sozinha levando um caiaque, mala, remos, mochila...ou seja sem a menor condição  de pegar qq trem ou metro no aeroporto. A Surf Travel montou uma viagem incrível para mim. Cheguei a Paris, viajei 3 horas de carros e durmi em uma cidadezinha turística, visitei os castelos mais lindos que já vi e depois parti para Ile D’ Oleron, onde conquistei o 3º lugar na Copa do Mundo de Kayaksurf daquele ano. No final ainda fiquei um dia em Paris, conheci os principais pontos turísticos daquela cidade lindíssima. E o valor da viagem ainda ficou mais em conta do que a outra operadora. Bom, depois disso meu patrocinador entendeu que as minhas viagens de surf, sejam de competição ou expedição, tem que ser com a Surf Travel...



Escrito por Bebeta às 12h05
[ ] [ ]





Escrito por Bebeta às 17h56
[ ] [ ]


 

SAIBA COMO FOI A SURFTRIP NO NORTE DO PERÚ!

É só escolher onde você quer ler. Clique nos logos dos veículos!

 

Além de todos os detalhes que dei nos textos, fica aqui a fonte direta

das dicas para quem pretende viajar para Chicama.

Eles também fizeram minha trip ficar perfeita!

Divirta-se!!!


Mais sobre o Perú: www.culturaperuana.com.br

Como viajar: www.surftravel.com.br

Onde ficar: www.chicamasurf.com

 






Escrito por Bebeta às 16h04
[ ] [ ]


ENTREVISTA MIT POINT


Se você não pode ouvir na quarta feira, confira nos links abaixo:

ENTREVISTA MIT POINT PARTE 1 - http://www.mitfm.com.br/podcast.asp?id=543784

ENTREVISTA MIT POINT PARTE 2 - http://www.mitfm.com.br/podcast.asp?id=543818



Escrito por Bebeta às 22h18
[ ] [ ]


 

Galera, ouçam amanhã (quarta às 20:00h) no programa MIT POINT com Fernando Solano

e Fernando Meligeni, como foi a surftrip em Chicama/Perú e muito mais sobre kayaksurf,

sup, canoagem em geral e todas as aventuras e viagens que tenho feito por aí....MIT 92,5 FM!



Escrito por Bebeta às 19h58
[ ] [ ]


PRÓXIMA TRIP > CHICAMA/PERÚ > KAYAK + SUP

A Top 10 mundial Roberta Borsari conhecerá, de caiaque e de SUP, na famosa Chicama com suas ondas de 1,5 quilômetros de extensão, no Peru


Depois de surfar a onda mais extensa do mundo em rio, a pororoca, a atleta Roberta Borsari tem agora um novo objetivo na carreira: desvendar a onda esquerda mais longa dos mares, no norte peruano. E o desafio já tem data marcada. No dia 1º de outubro, a brasileira desembarca no Peru para uma surftrip no imenso Pacífico.

"Chicama tem uma onda considerada um clássico do surfe. Ela é tão extensa que, depois de surfá-la, é preciso um bote para te resgatar para conseguir um bom aproveitamento dos treinos", contou a atleta. A onda do local pode chegar a mais de 1,5 quilômetros de extensão e dois metros de altura.

O Peru é mundialmente reconhecido pelas boas ondas e a ideia da brasileira é se aventurar no caiaque (sua especialidade) e também no Stand Up Paddle (SUP), modalidade que tem atraído adeptos por todo o mundo na qual o atleta fica em pé sobre uma prancha remando. "Explorar esse local com os equipamentos de remo será um enorme prazer", ressalta Borsari.

Para explorar os mistérios do país asteca, Roberta ficará no resort Chicama Surf, que oferece alguns mimos aos seus hóspedes como o SPA do local. Assim, quem quiser acompanhar os aventureiros e quer ficar confortavelmente instalado, o hotel oferece excelente infraestrutura turística.

Logo depois da surftrip, a atleta lançará oficialmente o seu novo site, no qual apresentará todas as emoções e o histórico de suas aventuras. E em novembro, Roberta participará do Campeonato Sul-Americano de Kayaksurf em Barra Velha, Santa Catarina.

Em abril, Borsari se tornou a primeira mulher do mundo a surfar de caiaque a Pororoca, no rio Araguari. A Pororoca ocorre em decorrência do encontro das águas do rio com o mar, formando imensas ondas. Top 10 no ranking mundial de kayaksurf, a atleta é a única mulher a correr o circuito nacional. Na canoagem em corredeiras foi a primeira mulher a descer vários rios do sudeste do país. Além disso, em 2009, tornou-se a primeira a surfar de caiaque as águas de Galápagos.

Mais informações: www.kayaksurfclub.com.br

 



Escrito por Bebeta às 16h56
[ ] [ ]


www.adventuresportsfair.com.br

Roberta Borsari fala de marketing esportivo para aventureiros
Atleta amplia a discussão sobre comunicação e patrocínios durante a Adventure Sports Fair

 

Entender como funciona o marketing esportivo e como ele pode ajudar na carreira dos atletas de aventura é o tema da palestra de Roberta Borsari, na Adventure Sports Fair. Durante o evento, a atleta top 10 do kayaksurf mundial, que também é publicitária, falará sobre o Marketing do atleta e aventureiro – os desafios da conquista do espaço na mídia, no dia
14 de agosto, às 18 horas.

 

Na bienal do Ibirapuera, Borsari dará dicas de estratégias aos esportistas que buscam captação de recursos e querem entender o mercado atual. Temas como os diferenciais do atleta, a elaboração de projetos, as leis de incentivo ao esporte, o potencial da internet e redes sociais na comunicação e na divulgação, também estarão em pauta.

 

Para abordar todo este conteúdo, ela contará com sua vasta experiência em esportes de aventura. Além do kayaksurf, Roberta praticou e competiu em diversas modalidades de canoagem e atualmente também pratica o Stand UP Paddle, uma modalidade nova, sucesso nos Estados Unidos e Europa.

 

Além disso, como publicitária, a palestrante mostrará sua vivência no gerenciamento de uma equipe criativa de um grande portal de internet para fazer o elo entre comunicação e esporte. A palestra ainda trará opiniões de diversos profissionais do segmento, como diretores de marketing esportivo e empresarial, assessores de imprensa, atletas e editores de TV e de outras mídias.

 



Escrito por Bebeta às 18h09
[ ] [ ]


KAYAKSURF, POROROCA E SUP

NO PROGRAMA REDETV ESPORTE

NESTE SÁBADO, 6 DE AGOSTO – A partir das 13h



Escrito por Bebeta às 20h31
[ ] [ ]


 

TRAVESSIA:

BARRA DO SAHY /ILHA MONTÃO DE TRIGO

 

OBJETIVO

Remar da praia da Barra do Sahy até a Ilha Montão de Trigo de SUP – caminhar até o topo para registrar a vista, passar uma noite na ilha para conhecer e acompanhar a rotina das famílias pertencentes a comunidade local. Conversar com os moradores para descobrir as histórias, lendas, curiosidades e todos os ensinamentos que estas pessoas tem para nos passar

QUANDO

 

Dia 16 de julho de 2011

ESTRUTURA / APOIO

Apoio BordHouse com a prancha específica para travessia tamanho 12,6 e suporte de acompanhamento e logística da operadora Rios e Montanhas com a presença do proprietário e amigo de longa data Betinho

PROJETO

A travessia da Ilha do Montão faz parte do projeto Travessias de SUP nas ilhas do Brasil onde eu pretendo reunir material (fotos, vídeos, relatos e informações) sobre as diversas ilhas do litoral Brasileiro – iniciando por São Paulo. As ilhas dos Gatos, Couves, As Ilhas e o Montão foram as primeiras desta jornada no litoral norte paulista – São Sebastião

COMO FOI

Desde março já tinha idéia de fazer esta travessia, por que a Ilha do Montão sempre foi rodeada de lendas, histórias e curiosidades em geral. Já havia chegado nela de caiaque, mas o fato de caminhar até o topo da ilha e durmir por lá me gerou grande expectativa. Isto graças aos contatos que meu amigo Betinho tem com a ilha e seus habitantes. Uma pequena comunidade com cerca de 50 pessoas divididas e 14 famílias que vivem basicamente da pesca. Meu amigo havia me falado que as pessoas que vivem lá são muito amigáveis e que iria perceber isso no dia que passaríamos na Ilha. Bom, o dia da remada foi perfeito, em pleno inverno tivemos um dia de verão com calor, mar flat e vento fraco de leste – condições ideais para a travessia. Depois de cerca de 2h de remada direta foi surpreendida pela visão de um golfinho, assim que meu amigo se aproximou com o barco comentei com ele e não demorou começamos a ver vários deles nadando por todos os lados – quando derrepente falei “Betinho, eles estão nadando em nossa direção!” Depois disso vivi um dos momentos mais emocionantes que já tive durante uma remada. Os golfinhos ficaram cerca de 20 min. Praticamente brincado com a gente, passando por baixo da prancha, nos observando e rodeando enquanto observávamos extasiados! Foi alucinante! Depois disso tive mais um pouco de tempo de remada até chegar na ilha. Encontramos com o pessoal que foi de canoa havaiana até lá e depois de um lanche rápido organizamos a caminhada até o topo. Neste momento contamos com a gentileza do morador Jadir que nos mostrou o caminho e mais uma boa surpresa, a vista maravilhosa da costa do Guarujá até Ilha Bela. No final da tarde a companhia das crianças foi muito especial, meninada extremamente dócil e divertida contado suas histórias e querendo saber da gente também. Ganhamos um cação de presente para o jantar, um peixinho frito da nossa amiga, ouvimos histórias curiosas como o tempo em que eles viviam por lá sem barco a motor e dependiam dos braços para navegar até a costa. Muitas são as histórias e lendas sobre a ilha Montão de Trigo, como o fato de ter sido descoberto um cemitério que provavelmente foi de piratas que se escondiam nas ilhas para atacar as embarcações que partiam da região de Mar Del Plata, mas o que pude constatar mesmo, foi que a simplicidade das pessoas que vivem na ilha podem nos ensinar muito sobre a visão de vida, a natureza e a maneira como nos relacionar com as pessoas. Foi a remada mais especial que já fiz na vida...

AGRADECIMENTOS  ESPECIAIS

Agradeço a equipe Board House por apoiar minha empreitada e a meu querido amigo Betinho, pois sem ele a logística perfeita que tivemos não seria possível. VALEUUUUUU MESMO AMIGOS!!!!


 

 



Escrito por Bebeta às 19h39
[ ] [ ]


AGORA CURTINDO MAIS UM ESPORTE COM REMO: 

STAND UP PADDLE

 




Escrito por Bebeta às 22h27
[ ] [ ]


KAYAKSURF NO CEARÁ - FORTELEZA

Palestra e etapa do Campeonato Brasileiro de Kayaksurf



 

 




Escrito por Bebeta às 16h49
[ ] [ ]


KAYAKSURF NA AMAZÔNIA - POROROCA 2011

Fotos: Fabio Paradise



Escrito por Bebeta às 16h02
[ ] [ ]


KAYAKSURF NA AMAZÔNIA - POROROCA 2011

Com Serginho Laus, Jorge Pacelli, Saulo Ramos e Skeet.

Em breve todas as imagens e detalhes da expedição

FOTO: FABIO PARADISE




Escrito por Bebeta às 23h13
[ ] [ ]


 

25th Annual Santa Cruz PaddleFest

CALIFÓRNIA - MARÇO 2011

 



Escrito por Bebeta às 17h26
[ ] [ ]


VOANDO COM A UNITED AIRLINES





Escrito por Bebeta às 21h41
[ ] [ ]


HAWAII - Outubro 2010

http://www.kayaksurf.net/RobertaBorsariHawai.html

http://www.gonuts-hawaii.com/



Escrito por Bebeta às 19h08
[ ] [ ]




Escrito por Bebeta às 19h53
[ ] [ ]


PALESTRA NA ADVENTURE SPORTS FAIR - 25/10 (sábado) às 17h

 

A canoísta Roberta Borsari trás um novo tema para a Adenture Sports Fair:

 

“MARKETING DO ATLETA E AVENTUREIRO "

Os desafios da conquista do espaço na mídia, apoios e patrocínio

 

Isto com o objetivo de ampliar a discussão entre todos os interessados no assunto e também dar dicas para praticantes e atletas dos esportes de aventura que buscam a captação de recurso e querem entender o mercado atual. Além da visão e experiência da atleta, ela também traz a opinião de diversos profissionais do segmento, como diretores de marketing esportivo e empresarial, assessores de imprensa, atletas, editores de TV e outras mídias.

A palestra abordará os diferenciais e posicionamento do atleta, elaboração de projetos, leis de incentivo ao esporte, análise de mercado, potencial da internet e redes sociais como comunicação e divulgação entre outros temas.

Participe!



Escrito por Bebeta às 19h46
[ ] [ ]


Veja um trechinho aqui!



Escrito por Bebeta às 21h19
[ ] [ ]


LAST HOLIDAY...MARESIAS



Escrito por Bebeta às 22h29
[ ] [ ]


KAYAKSURF NA ESPN

 

Clique aqui para assistir

 



Escrito por Bebeta às 21h27
[ ] [ ]




Escrito por Bebeta às 23h36
[ ] [ ]


NEWS SANTA CRUZ – 3 -final

 

Depois de algumas baterias com ondas com cerca de 0,5 a 1m, Steamer Lane praparou um dia especial para as finais do Festival Internacional de Santa Cruz. Sol, público em massa e ondas de 2m foram os componentes do cenário que esperava os finalistas da prova.

Os ondas são extremamente longas o que exigiu bastante preparo físico dos canoístas cada vez que tinham que voltar para o outside. Na categoria masculina high performance o vencedor foi o americano Galen Licht, seguido pelo inglês Christopher Hobson e Stephen Farthing.No feminino quem levou a melhor foi a americana Rachel, seguida por Devon Backer e eu na terceira colocação.

Fiquei satisfeita com o reultado pois subi uma posição em relação ano passado e também por que este ano as finais aconteceram com condições incríveis de onda! Boas ondas, reencontros com os amigos e diversas modalidades de onda reunidas em um evento clássico na Califórnia. É isso aí, ano que vem tem mais!



Escrito por Bebeta às 04h44
[ ] [ ]


NEWS SANTA CRUZ - 2

 

Na quinta feira a noite aconteceu o primeiro encontro oficial do Festival Internacional de Santa Cruz. Todos os competidores se reuniram para fazer a confirmação da inscrição, passar pelo check boat onde os caiaques são avaliados e validados dentro das regras de segurança e das especificações de cada categoria e recebem o briefing geral da competição. Na sexta feira pontualmente as 7hs da manhã começaram as primeiras baterias. Vale comentar a excelente organização do festival que acontece a anualmente a cerca de duas décadas em Steamer Lane. O sol se manteve a o tamanho das ondas também com séries de 1m a 1,5m proporcionando belas imagens para o público que acompanhou as manobras dos canoístas. Após as 13hs um vento forte passou a exigir preparo físico dos atletas, mas as ondas continuaram com boa formação. Foi o aconteceu na minha bateria, iniciada as 13:40h. Vale lembrar que as baterias tem 20 minutos onde são contabilizadas as 3 melhores ondas. Nesta sexta tive problemas com meu equipamento onde tive que sair da prova 5 minutos antes de terminar, mesmo assim consegui uma boa pontuação. Fiquei em terceiro lugar fazendo 45 pontos ficando atrás de duas americanas com pontuações de 46 e 47 feito por Devon Baker a vencedora da bateria. Uma vez que nesta etapa prova vale a somatória dos pontos sigo na “cola” para a próxima fase

 

NEWS SANTA CRUZ - 1

 

Temos aqui em SC uma temperatura média de 18 graus, com muito sol. Os dias que antecedem a competição são dedicados aos treinos e principalmente a adaptação da água extremamente fria para os padrões brasileiro.

Eu já surfei em diversos países da Europa como França, Portugal, Espanha e Irlanda e nenhum deles tem a água tão gelada como aqui na Califórnia, tudo por causa de uma corrente vinda direto do Alasca.

Isto influencia diretamente na performance de quem não está acostumado a surfar nestas condições. A adaptação é necessária desde a quantidade de roupa exigida para a proteção do frio, passando pelo impacto que a temperatura tem na musculatura (travando os movimentos) até o tempo que você consegue ficar na água. Para surfar em Steamer Lane, um local extremante disputado é necessário chegar a praia quando está amanhecendo, só assim é possível surfar as melhores ondas, isto acontece por volta das 6:30h da manhã, com um frio daqueles.  

E assim que chego para o primeiro surf do dia já encontro (e reencontro) diversos amigos e competidores. Os principais atletas do kayaksurf mundial participam anualmente desta prova, uma vez que ganhar aqui, tem o mesmo peso de um mundial na visão da comunidade do esporte. Desta vez a curiosidade é uma dupla de canoístas vinda da Itália para sua primeira participação na concorrida prova de Santa Cruz. As ondas estão com média de 1m a 1,5 m e meio com previsão para subir nos próximos dias. O clima aqui é positivo e de muito surf, as últimas delegações estão chegando e todos se preparam para a prova internacional mais esperada do ano, uma vez que não acontecerá a Copa do Mundo em 2010.segurança



Escrito por Bebeta às 02h09
[ ] [ ]


FESTIVAL INTERNACIONAL DE KAYAKSURF

DE SANTA CRUZ 2010 / CALIFÓRNIA

Tudo indica que a prova de Santa Cruz este ano será pra lá de animada, não só pelo encontro

entre os grandes atletas do kayaksurf surf internacional, pelo festival que reune diversas modalidades,

categorias e atividades, pela possibilidade de surfar em picos Steamer Lane e Davemport, mas pelo fato

de ter tudo isso aliado a um grande swell chegando bem na data da competição. Vamos aguardar...

Estarei enviando os reports aqui...

BEBETA - 21/03 - direto do avião....

 

 



Escrito por Bebeta às 15h02
[ ] [ ]


VOTE AQUI



Escrito por Bebeta às 21h59
[ ] [ ]




Escrito por Bebeta às 15h15
[ ] [ ]


 

 

A Escolha do destino de Galápagos se deu por 2 motivos: as ondas e o contato com os animais na ilha de Darwin. As ondas do arquipélago são conhecidas por sua força e exigência de técnica dos surfistas, pois a formação é de um fundo de pedra vulcânico irregular. A fauna exuberante, com espécies endêmicas são uma atração a parte que atrai turistas do mundo todo. Mas por mais que este seja um destino mundialmente conhecido as informações não eram exatamente precisas e não é tão fácil encontrar pessoas que já foram pra lá e podem dar todas as dicas, especialmente em se tratando de uma kayaksurftrip. Os acessos aos picos de onda, foram a principal preocupação, mas, mais tarde eu e o Maurício vimos que era bem mais fácil do que imaginávamos...

 

Saindo do Brasil são 3 vôos até chegar ao arquipélago: São Paulo-Lima-Quito-Galápagos...mas a viagem que parece longa apesar de continuarmos na América do Sul foi totalmente compensada quando se está perto de aterrisar na ilha.

Afinal foi possível ver ondas perfeitas (e sem ninguém) de dentro do avião. Existem 2 aeroportos e um deles fica em San Cristovam, ilha destinada pra quem vai em busca do surf. Foi difícil segurar a ansiedade, mas assim que chegamos e tiramos nosso visto de 3 meses, que é o período máximo de permanência permitido para estrangeiros (nossa viagem seria de apenas uma semana), e  depois de pegar nossas bagagens fomos surpreendidos pela dona da pousada que reservamos, que foi nos receber no aeroporto. De lá fomos guiados por ela direto para o pico de onda, checamos o local e na sequência fomos para a pousada pegar os caiaques e cair na água.

 

 

O primeiro pico foi El Canhão, com ondas de 1m até 1,5 nas maiores da série...uma onda onde a precisão é importante e não se pode errar o drop e muito menos a saída, uma vez que ela termina praticamente nas pedras...Além disso, tartarugas realmente grandes colocavam a cabeça para fora a todo momento e as focas ficam brincando e seguindo o caiaque...o contato com a natureza deste lugar é algo realmente especial e impacta logo de cara.

Naquele dia haviam na água apenas mais 3 surfistas, um brasileiro (sempre tem um brasiliero...) e 2 locais...então foi ótimo, pois deu pra ir testando a potência da onda, os limites e acima de tudo: fazer a cabeça com um surf incrível!

A poder das ondas também impressionam e não é a toda que praticamente todos os picos do guia do wannasurf catalogam Galápagos para surfistas experientes ou então, alguns spots, para “kamikases”...meu irmão é super experiente e eu ficava imaginando em qual categoria eu pertencia...

 

 

 

A temporada de turismo e de onda é dezembro, janeiro e fevereiro, podemos dizer que em novembro já entram os grandes swells..aliás esta é uma característica de Galápagos...quando entram as ondas, chegam com cerca de 9 pés. Nós pegamos o final de um swell, onde tivemos mais um dia de onda surfando em Carola, uma praia logo ao lado da pousada onde é possível chegar remando....e depois mais uma vez em El canhão...pico preferido dos locais.

Mas o que observamos e comprovamos é que também a entrada de swell não é tão constante assim. Encontramos 2 brasileiros que estavam indo embora e depois de ficar 15 dias na ilha surfaram apenas este swell...mesmo assim eles saíram de cabeça feita até o último fio de cabelo. Intercalando com o surf, o número de passeios e lugares maravilhosos que se tem para conhecer e curtir é muito variado.

 

As tartarugas gigantes são a atração mais famosa de Galápagos e é lindo ver aqueles animais imensos e tão dóceis. Entre as 4 espécies, uma delas já está extinta, uma existe apenas um exemplar conhecido como “Solitário George” e as outras duas estão espalhadas pelas diferentes ilhas. Sendo de cada espécie tem um casco diferente conforme o ambiente (seguindo a teoria da evolução de Darwin).

Os mergulhos também são excepcionais, sejam com as tartaturas, raias manta, tubarões ou leões marinhos. Dois lugares são imperdíveis! O mergulho na “Isla Lobos” onde as fêmeas de leões marinhos ficam com seu filhotes (uma maternidade) e é possível brincar com as foquinhas, que são muito curiosas, brincalhonas e dóceis (com exceção do macho dominante da colônia de demarca seu território e defende sua família). E o mergulho na linda (e sinistra) “Isla Leon Dormido” onde se passa entre a grande fenda para nadar com os tubarões martelo. Bom...isso para quem quer uma adrenalina a mais das ondas fortes...Nesta viagem tivemos como guia o Marco da Patagônia Ecomultiesportes que deu toda atenção e dicas! Eu recomendo!

Para quem está de caiaque, qualquer remada despretenciosa vira um passeio maravilhoso. Seja pela interação com os animais, os visuais incríveis e baías que se descobre. Não é necessário fazer só passeios comerciais para se divertir, basta caminhar cerca de 15 minutos da pousada para chegar a um lugar incrível para fazer snorkel com focas, tartarugas e uma variedade enorme de peixes e fauna marinha em geral.

 

A programação é intensa e cada dia é melhor que o outro. Surf, Bike, trecking, mergulho, remadas, observação de animais e tudo que seu preparo físico pode aguentar...a noite para recuperar nos abastecíamos com o “PF” (expressão brasileira para “prato feito”), neste caso composto por peixe, camarão, lagosta, saladinha, arroz e batata fritas – tudo isso por U$ 12,50....fico com água na boca só de lembrar!

Vale lembrar que tudo isso refere-se a apenas uma das ilhas do arquipélago e ainda ainda pode-se visitar outras ilhas, ver vulcões, locais guardados pelos piratas, estátuas de civilizações passadas e outras atrações. Uma viagem muito especial, um lugar incrível, onde o respeito e o contato com a natureza impera.

 

PARA VER TODAS AS FOTOS >> CLIQUE AQUI 

 

PARA FAZER PASSEIOS >> PATAGÔNIA ECOMULTISPORTES

Contato: marco@patagoniaecomultisports.com.ec

 

www.ecuadoradventure.ec

www.galapagosadventure.com

 

 

 



Escrito por Bebeta às 20h46
[ ] [ ]


DIVULGAÇÃO DO KAYAKSURF NA ESPN COM A FALZONE!



Escrito por Bebeta às 15h25
[ ] [ ]


KAYAKSURFTRIP EM GALÁPAGOS / NOV 2009



Escrito por Bebeta às 23h17
[ ] [ ]


MUNDIAL DE KAYAKSURF 2009

 

 

Este mundial tem tudo para entrar na lista das competições imperdíveis.

A estrutura do Ocean Spirit é impecável, sol e ondas todos os dias, grande público assistindo as provas, arbitragem extremamente profissional e um dos maiores números de atletas e times presentes – mesmo com o “desfalque” de parte da delegação americana.

Durante toda a competição houve diversas mudanças nos horários das provas, mas o que vale comentar é que sempre visando a melhor condição de onda e também a segurança dos atletas.

São 3 palanques na praia de Santa Rita que intercalam as provas de surf e kayaksurf (quando não há ventos) e kitesurf quando os ventos estão fortes – principalmente na parte da tarde.

Cheguei as quartas de finais e fui avisada por um amigo que já havia visto a lista que eu estava em bateria bem difícil. Disputa “cascuda” com a Tanssin, atual campeã da Copa do Mundo e melhor atleta da Inglaterra, Devon – campeã americana de Freestyle e kayaksurf – âmbas velhas conhecidas minhas das competições, além disso tinha também a Ainhona, da seleção Basca.

9:00h iniciou a bateria das quartas de finais, apesar das boas ondas naquela manhã, não foi suficiente e fiquei em terceiro lugar. Achei que peguei boas ondas e boa parte da bateria fiquei em segundo, mas no final a Devon virou o jogo com duas excelentes ondas (como todos comentaram) e levou a melhor. Saí nas quartas de finais e fiquei como a nona colocação em uma disputa que deu gosto. Gostaria de ter seguido adiante (é claro!), mas também fico satisfeita de me manter entre as TOP 10 entre as 30 competidoras em uma competição que foi visível o nível técnico elevado do feminino.

Em uma balanço geral, foi um dos melhores mundiais do qual já participei, contando que já estive, na Costa Rica, Irlanda, País Basco/Espanha e agora aqui em Portugal. Não pelo resultado, mas principalmente pelos fatores que citei no início do texto, e também pois a cada ano o esporte evolui consideravelmente. Neste mundial tivemos 6 novos modelos de caiaques para surf sendo lançados por 5 fabricantes diferentes o que mostra que o kayaksurf está buscando os limites do esporte!

Para todos os reports: www.kayaksurf.net (NEWS)

 

 

As fotos de onda são de TIM Harvey. Para ver mais imagens do fotógrafo neste campeonato acesse: www.photof8.co.uk (Ocean Spirit)



Escrito por Bebeta às 21h33
[ ] [ ]


MUNDIAL DE KAYAKSURF 2009 – MAIS IMAGENS

Merecido “day off” ! Fomos fazer um free surf - (Austrália, Irlanda, Jersey, Brasil e Portugal) em Ericeira...as ondas estavam pequenas e foi relaxante, como precisávamos! Sem cronômetro. Enquanto isso em Santa Rica acontecem as provas de times...



Escrito por Bebeta às 18h24
[ ] [ ]


MUNDIAL DE KAYAKSURF 2009 – PORTUGAL

 

A competição segue em frente e por aqui já tivemos as mais diversas condições de ondulação: de meio metro a até 2m nas maiores da série  e também muito vento e mar liso e perfeito. Quem se manteve o tempo todo foi o sol do forte verão português – o que me agrada bastante! Uma curiosidade é o número de atletas lesionados nas pernas – a campeã mundial Valerie está com talas nos dois tornezelos pois se recupera de uma lesão onde quebrou os 2 de uma vez só em uma descida de rio – mais uns 3 atletas na mesma linha com talas nos joelhos e até muletas – o que mostra que ninguém quis ficar de fora deste mundial. Destaque para os novos times do Japão e Galícia.

As baterias seguem agora com 20 minutos, uma vez que o mar subiu e 14 minutos é pouco tempo para as condições atuais. Eu continuo na corrida – mais uma etapa e mais algumas fotos tb!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Bebeta às 19h23
[ ] [ ]


MUNDIAL DE KAYAKSURF 2009 - PORTUGAL


Depois de excelentes dias de treinos com boas ondas e muito sol, começou o Ocean Spirit e o mundial de kayaksurf em Portugal.

O praia de Santa Rita está tomada pelas competições simultâneas de kayaksurf, kitesurf, surf e skimboard. Nos intervalos das provas estão acontecendo shows dos mais variados estilos musicais. O mar está com cerca de 1m a 1,5 (baixando) e as provas iniciaram no sábado com sol e vento, o que atrapalhou um pouco a performance dos atletas mas não tirou o brilho da competição. Existem dois palanques posicionados nas extremidades da praia onde as baterias das diferentes categorias de kayaksurf acontecem em paralelo.

Neste evento as baterias seguem com 14 minutos , pontuando as 2 melhores ondas, o que torna a prova muito mais dinâmica e exige resistência dos atletas. São diversas categorias, a começar pelas classes defindas pelos tipos de caiaques: high performance – caiaques de até 3m e com quilhas e a Internacional class – caiaques maiores que 3m de comprimento e sem quilhas, que a grosso modo correspondem ao longboard no surf de prancha. Além das duas classes existem ainda as categorias, masculina, feminina, Junior, máster e provas por equipes. Uma das características da região são as fortes ondas (quebra côco”) que se formam na beira da praia na maré alta, transformando a entrada e saída do mar  em um momento muito cuidado exigindo habilidade por parte dos canoístas.  

Depois de passar pela estréia em segundo lugar (vale lembrar que as baterias acontecem com 4 atletas e classificam-se para a fase seguinte os 2 primeiros colocados), sigo em frente nas próximas etapas representando o Brasil.

 



Escrito por Bebeta às 17h48
[ ] [ ]


Prevenção e desenvolvimento muscular para KayakSurf

Por Paulo Simões - Professor de educação física residente de Portugal e Kayaksurfer do time RPF

A ideia não é apresentar um artigo exaustivo. Queremos apresentar uma proposta que no fim de acabar de lerem este artigo vão a uma loja gastar apenas 21,50 euros e comecem a treinar. Assim, temos dois objectivos centrais neste artigo: 1) tentar evitar lesões e 2) melhorar os índices de força associados à competição. Para isso iremos ilustrar com imagens a forma de treinar os principais grupos musculares em Kayaksurf. Sabendo que o tempo para treinar não é muito, planeámos para cada sessão de treino apenas inicialmente 45 minutos com 3 a 4 exercícios, 3 séries para cada um deles, a qual se pode articular 3 vezes por semana. O material limita-se a um tapete (3 euros), uma bola de Pilatos (14 euros) e um elástico (4,50 euros). A pagaia já vocês têm.

O treino

Aconselhamos que antes da realização destes exercícios se faça uma parte dedicada às funções cardiovasculares permitindo de forma geral um aumento da temperatura corporal e elasticidade muscular (ver artigo de Paulo Lopes). Assim, pelo menos 10 minutos de corrida e 5 minutos de pagaiar em seco. Usar a pagaia para alongamentos iniciais conforme a figura.

Exemplos:



Escrito por Bebeta às 17h16
[ ] [ ]


 

fig1- Após este aquecimento e explicação da organização da semana de trabalho entramos na parte principal do treino. As competências mais exigidas para uma kayaksurfista serão: A) equilíbrio de forças entre a parede abdominal e lombar (como se tivéssemos a olhar para uma balança), B) prevenir lesões no ombro, C) uso dos adutores e D) equilíbrio. Todas estas propostas dividem-se por nível de dificuldade de 1 a 3.

Os exercícios vão de I a VII mais flexibilidade. Aconselhamos à seguinte sequência de conteúdos: Treino 1: aquecimento, mais exercícios de I, IIa, III e V (podendo escolher mais que um nível para cada grupo), realizando 3 séries por cada um mais flexibilidade. Treino 2: aquecimento, mais exercícios I, IIb, IV, VI e VII, 3 séries por cada exercício mais flexibilidade. Treino 3 da semana: aquecimento, todos os exercícios propostos mas apenas duas séries por cada e um só nível (dependendo da motivação e tempo disponível), mais flexibilidade.

Estes conjuntos de exercícios que propomos deverão seguir a metodologia apresentada para a primeira proposta (treino da postura, I) que iremos usar como exemplo na regulação da carga do exercício. Assim:

I)Postura

O facto apenas de ter uma postura verticalizada do tronco ajudará a relação do equilíbrio da "balança", abdominais e lombares (entre outros músculos). È importante sentir as constantes alterações de ajuste do nosso corpo em relação à queda. Assim, independentemente do nível exigido (1 a 3) poderemos regular o nível de esforço (carga) pagaiando durante 30 segundos (delimitação temporal) ou número de repetições equivalente, descansando o mesmo tempo (constitui uma série). A regulação da carga pode ainda ser feita pelo aumento do tempo do exercício, um maior número de séries, aumento das repetições ou por último aumento do peso (em vez de pagaia, usamos uma barra de 6 ou 8 quilos). Podemos também mais tarde optar por realizar séries progressivas, ou seja, aumento do tempo de execução ou do número de repetições de série para série. Para esta última forma de trabalho deveremos estabelecer aumento também progressivo do intervalo de descanso.

Estes princípios são válidos para os restantes exercícios que iremos apresentar. Cuidado com a criatividade sem conhecimento. Por último tenham um registo mínimo do que fizeram e principalmente do que querem atingir. Todos exercícios propostos são ilustrados com fotos.

Nível 1: pagaiar sentado na bola com os pés no chão;

fig2 - Nível 2: pagaiar sentado na bola sem os pés no chão;

fig 3 Nível 3: pagaiar sentado na bola desequilibrando para a lateral criando um apoio num banco. Simulação de apoio para curvar.



Escrito por Bebeta às 17h14
[ ] [ ]


 

  • fig.

II.a) Reforço abdominal

Muitos dos problemas associadas a dores de costas tem origem na fraca tonicidade da parede abdominal que leva a uma antroversão exagerada da bacia (provoca curvatura lombar exagerada). Os exercícios que se seguem tendem a corrigir e prevenir alguns dos problemas que aumentam com o kayaksurf.

Nível 1: abertura e fecho do tronco /pernas sem bola

fig.5 Nível 2: abertura e fecho do tronco /pernas com bola

fig.6 Nível 3: Com apoio dos pés e sentado sobre a bola e pagaia. Simulação de pagaiar ou semi-esquimotar para ambos os lados.

fig.7

II.b) Treino avançado de abdominais

  • 1. Abdominais com as pernas sobre a bola;

fig.8 - 2. Abdominais com as pernas sobre a bola com rotação lateral dos joelhos.

fig.9

III) Equilíbrio

Em desportos de ondas o equilíbrio é constantemente desafiado pela instabilidade do ambiente (mar e vento). A nossa capacidade em responder com sucesso depende da dedicação que lhe oferecemos. As seguintes propostas são específicas para o Kayaksurf

Nível 1: em pé sobre a bola com apoio da pagaia. (mais fácil sentado, segunda figura, podendo executar os mesmos níveis mas sentado)



Escrito por Bebeta às 17h13
[ ] [ ]


fig.11 - Nível 2: igual sem apoio

fig.12 - Nível 3: pagaiar em cima da bola

fig.13  - IV) Propriocepção

Esta é a forma de levar o corpo a melhor perceber e se ajustar ao desequilíbrio. Estando de olhos fechados limitamos o número de referência necessárias para que o corpo estabeleça o equilíbrio. Expondo o nosso corpo a uma situação critica, favorecemos, ou melhor, exigimos dele que dê o passo mais além do que o geralmente é o contexto natural. Desta forma, em situação normal este estará melhor preparado para realizar toda a adaptação a situações de desequilíbrio. Entendamos melhor por, mais rápido, mais eficiente e com maior sucesso.

Equilíbrio sobre a bola de forma relaxada visualizando partes de surf na onda (com movimento na bola)

fig.14 - V) Reforço muscular dos ombros

Quando começamos a repetir o acto de pagaiar e criar apoios acima do nível dos ombros ou proteger de uma queda aparecem as primeiras lesões, ou mesmo como alguns nossos amigos, o úmero a saltar da cápsula. Os exercícios de ombros que apresentamos são preventivos, ou seja, de baixa carga e muita repetição. Pagaiar na rotação inversa é reforçar os músculos menos trabalhados e por isso mesmo tentarmos manter o equilíbrio de forças evitando tendinites ou outras lesões.



Escrito por Bebeta às 17h11
[ ] [ ]


 

Nível 1: Elástico a passar debaixo dos pés e levantamento frontal;

fig.15 - Nível 2: Lateral e atrás dos braços;

fig.16 - Nível 3: Pagaiar com elásticos no sentido inverso ao movimento natural (prevenção pelo treino dos antagonistas, músculos em oposição).

fig.17 - VI) Reforço dos adutores

A direcção e curvar rápido do kayak (Sit-in ou SOT) é em grande parte da responsabilidade dos adutores (apoio interior do kayak ou finca-joelhos) permitindo a transferência da energia cinética para o kayak. Os exercícios que propomos são fundamentalmente preventivos.

Nível 1: Aperto da bola com os joelhos;

fig.18 - Nível 2: Aperto da bola em pé sem perca de equilíbrio;

fig.19 - Nível 2: Aperto da bola de barriga para baixo.

fig.20 - VII) Reforço dos peitorais

A pagaia estabelece a ligação entre os dois braços, e de forma simplificada, os peitorais são os músculos que se situam na mesma linha de acção entre os braços. O reforço do peito poderá ser feito apenas com um elástico (aumento da resistência do elástico é feita pelo seu encurtamento) deitado numa cadeira. Vejamos como:

fig.21

Flexibilidade

As partes mais solicitadas deverão ser alongadas sem dor até um limiar de desconforto e devendo manter essa posição durante 10 segundos, sendo esta uma das partes importantes para a contínua prevenção de lesões. No final de uma surfadas, enquanto quentes e antes de tirámos o fato, deveríamos alongar as partes mais estimuladas durante a sessão.

Boas Ksurfadas, Paulo Simões



Escrito por Bebeta às 17h09
[ ] [ ]


2009 ESTÁ AÍ E A TEMPORADA DO CURSO DE ROLAMENTO INDIVIDUAL KAYAKSURF CLUB NO LITORAL NORTE PAULISTA ESTÁ ABERTA. APROVEITE O VERÃO PARA APRENDER A MANOBRA!!!

Informações: roberta@kayaksurfclub.com.br



Escrito por Bebeta às 18h56
[ ] [ ]


Dando continuidade aos artigos de interesse comum aos kayaksurfers e a parceria com KAYAKSURF.NET, agora a vez de Rui Calado, da Watertech de Portugal expor seus conhecimentos em relação a segurança. 
 
 
 
Matéria com exposição simultânea no KAYAKSURF CLUB BRASIL e KAYAKSURF.NET PORTUGAL 
 
Acompanhe todas as novidades do kayaksurf mundial em: http://www.kayaksurf.net/news.html
 
Este é um tema difícil de tratar pois tanto quanto me lembro não li nada sobre o assunto em lado nenhum. Vou portanto fazer um mix entre técnicas de segurança em águas bravas, kayak de mar e a experiência que tenho do mar e das ondas...

Começamos pela segurança passiva, ou seja, aquilo que podemos fazer ou atitudes que podemos tomar para tornar a actividade segura, mesmo antes de a começarmos a praticar. Neste ponto incluem-se os locais que escolhemos para surfar e o equipamento que vamos usar:

Os locais

O mar e as ondas parecem um meio muito mais tranquilo e seguro para andar de kayak do que um rio, por exemplo. Mas, como em tudo, tem as suas especificidades que devem ser conhecidas e relativamente controladas. Tudo começa pela escolha da praia e das condições do mar. Devem ser adequados ao nosso nível técnico... No início nunca se deveria escolher uma praia com fundo rochoso ou condições de ondas a partir violentamente na areia (quebra coco).


Escrito por Bebeta às 09h19
[ ] [ ]


Quando se aprende a andar de bicicleta não se vai imediatamente fazer saltos de 5 metros... Há que saber olhar para o mar (ou para o windguru) e conseguir identificar a cadencia das ondas, importante para sair para as ondas e regressar à praia, as marés, as correntes, os picos, etc etc. Já se viu muita gente a nadar furiosamente contra uma corrente para chegar à praia quando, 5 metros ao lado, há outra corrente que os levaria até lá com muito menos esforço. É difícil perceber isso ao nível da água e numa situação desconfortável e por isso é preferível fazer um reconhecimento prévio de onde estão as correntes principais.

É importante também saber ver onde as ondas terminam. A onda acaba por perder a força num fundo de areia? Ou pelo contrário nunca perde a força e acaba numa falésia? A onda é limpa ou passa por pedras na sua trajectória normal? Os sets estão regulares ou diferem muito entre eles? O intervalo entre ondas é muito curto ou longo? Está muito vento? Para onde é que ele nos empurra?

Situações diferentes exigem níveis técnicos diferentes e cuidados adequados.

Atenção também à forma como as ondas “fecham”. Muitas vezes não é o tamanho das ondas a única coisa com que nos devemos preocupar. É também a forma como elas “partem”. Há muitas situações em que é mais tranquilo fazer uma onda de 1,5 metros do que uma de 50 cm... Estão a ver a ideia?



Escrito por Bebeta às 09h17
[ ] [ ]


No que diz respeito ao equipamento que levamos para dentro de água:

O colete tem no kayaksurf e waveski 3 funções importantes: ajuda na flutuação (como é evidente), protege de impactos e ajuda a manter a temperatura do corpo. Além de nos ajudar nas manobras de recuperação, como a esquimotagem, permite manter-nos à superfície sem grande esforço. Energia que poderá ser necessária para nadarmos em determinada direcção. Ajuda-nos também a ficar à superfície em caso de impacto ou desorientação.

O capacete, que os mais puristas dispensam, é também um elemento que deve ser usado em todas as circunstâncias e não apenas quando surfamos em fundos rochosos. Não nos podemos esquecer que estamos no mar com uma pagaia na mão que nos pode atingir quando perdemos o controlo, estamos sentados dentro ou em cima de uma embarcação rígida que nos pode magoar, com quilhas afiadas que nos podem ferir. E depois muitas vezes não estamos sozinhos e as regras das prioridades ficam um pouco esquecidas...

A presença de fundo de pedra ou de rocha na costa é, claro, também uma excelente razão para se usar este elemento de protecção. Até para manter a temperatura na nossa cabeça e, dependendo do desenho do capacete, impedir que entre água com pressão para os nossos ouvidos.

Levar um fato isotérmico é sempre aconselhável, não só porque o nosso corpo arrefece cerca de 25 vezes mais depressa em contacto com a água (podendo levar a uma hipotermia mesmo com um calor relativo cá fora), mas porque ele próprio nos dá flutuação e protege de impactos e contacto com rochas. No caso do kayak, um bom saiote que não impluda com uma onda mais forte é outro elemento a ter em conta. Mas que seja fácil de colocar e sobretudo tirar numa situação de emergência.

No caso do kayak é muito importante usar flutuadores que preencham a zona traseira para impedir que afunde ou que fique demasiado pesado no caso de uma saída molhada. No caso do waveski, há que defenda a utilização de um leash, um cabo (trela na tradução literal) que prende a prancha ao kayaksurfista. Pode ser bastante útil para não se perder o contacto com o waveski - a nossa boleia - mas também apresenta o perigo de se enrolar à volta de uma parte do nosso corpo inadvertidamente...

Para terminar deve-se ter em conta o tipo de kayak ou waveski que usamos, que deve ser adaptado ao nosso nível técnico, ou pelo menos próximo. Andar no início com uma máquina muito nervosa e instável vai colocar-nos mais vezes problemas do que nos divertir...

Imaginemos que temos as condições ideias para uma surfadela. Sol, calor, mar perfeito, ondas regulares e a partir certinhas, estamos equipados a rigor. Ainda temos que ter em conta que alguma coisa poderá correr menos bem durante a surfadela. E por isso temos que saber reagir.



Escrito por Bebeta às 09h16
[ ] [ ]


Rui Calado - foto: cardeli.com

Vamos então falar de Segurança Activa:
Antes de mais deveríamos tentar garantir que mesmo nas situações mais agitadas continuamos na posição normal dentro ou em cima da nossa máquina de surfar. Neste ponto deve-se distinguir bastante a capacidade de recuperação de um kayak e de um waveski. Ao controlar manobras básicas como apoios e esquimotagem colocam-nos quase a par, mas no caso de termos que nadar, é rápido e relativamente fácil voltar para o waveski e continuar a fazer ondas. Já o kayak... obriga-nos a nadar para terra, retirar a água e voltar a entrar.

Neste sentido é fundamental dominar as manobras de recuperação, ou seja, esquimotagem em ambos os casos e saber voltar rapidamente a subir para a prancha no caso do waveski.

Mas se por alguma razão nos encontramos a nadar e impossibilitados de continuar a pagaiar normalmente (por se partir a pagaia, o cinto ou a prancha no caso do waveski por exemplo), temos que saber nadar com o equipamento. Também aqui os dois tipos de embarcação diferem pois o waveski não fica com água dentro e portanto será sempre mais leve do que um kayak.

Vamos tentar não largar nem a pagaia nem a embarcação, pelo menos até chegar à zona de rebentação. Uma vez a nado e com algum vento ou corrente, a embarcação ou pagaia poderão afastar-se de nós muito mais rápido do que conseguimos nadar para os voltar a apanhar... A pagaia pode ser usada para “remarmos” mesmo sem embarcação, permitindo muito mais velocidade de deslocação do que com as mãos (veja-se a diferença de área entre a mão e uma pá de pagaia).

Podemos nadar usando a embarcação como se fosse uma prancha de bodyboard, ou no caso do wave rebocá-lo pelo leash. Uma vez na zona de rebentação é muito importante não nos colocarmos à frente do kayak ou wave pois ele virá sem controlo e com bastante velocidade ter connosco. É preferível tentar segui-los até ter pé e tentar segurar a máquina e sair da água. Mas uma vez mais sempre por trás e nunca à frente. Muitas pernas e costelas já sofreram o impacto de um kayak ou wave e não gostaram...

Em condições de ondas que fecham na areia (quebra coco) seja de kayak ou de wave é preferível desmontar antes de chegar à zona onde a onda rebenta e sair a pé segurando a embarcação. Pode-se poupar muito as costas e o pescoço no caso de um viranço directo para a areia, e mesmo evitar partir os fins e casco do kayak ou wave ao entrar com demasiada força pela areia dentro...

Rui Calado - www.watertechkayaks.com



Escrito por Bebeta às 09h13
[ ] [ ]


ATENÇÃO ATLETAS:

CAMPEONATO CANCELADO 

AVISO ENVIADO PELA CBCA DIA 10/11 - 18:30

14, 15 e 16 de Novembro de 2008

Local:Praia da Saudade – Prainha, em São Francisco do Sul, Santa Catarina - Brasil.

Classes: Kayaksurf e Waveski  - Categorias de ambas as classes: Iniciante; Open; Sênior e  Master

Premiação:A premiação será oferecida em dinheiro, no importe de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) a ser distribuído entre os finalistas das categorias: Open e Iniciante das classes Waveski e Kayaksurf. Assim sendo, respectivamente: 1º colocado: R$ 400,00 (quatrocentos reais); 2º colocado: R$ 300,00 (trezentos reais); 3º colocado: R$ 200,00 (duzentos reais); e 4º colocado R$ 100,00 (cem reais).

 

Programação do Evento

14 de novembro

21:00horas
Nas dependências da Pousada da Ilha, cerimônia de Abertura Oficial do Campeonato Brasileiro de Canoagem Onda 2008. Após, Coquetel.

15 de novembro (Sábado)

08:00horas
Concentração no local do evento – Praia da Saudade (Prainha)

10:00horas
Início das baterias

18:00horas
Encerramento

21:00horas
Música ao vivo no SurfBar (Praia da Saudade).

16 de novembro (Domingo)

08:00horas
Início das baterias

MAIS INFORMAÇÕES:  http://cbca.org.br/onda2008/



Escrito por Bebeta às 22h14
[ ] [ ]


MENSAGEM DE NOSSO AMIGO

ARGENTINO GABRIEL  LANDINI

Hola a todos los hermanos brasileros

Les deseo que tengan un campeonato exitoso y que sirva para fomentar los lazos de confraternizacion entre las diversas disiplinas les envio algunas fotos del campeonato Argentino recientemente finalizado y que fue un verdadero exito un abrazo Gabriel Landini

 

 

VALEU GABRIEL, AGUARDAMOS MAIS UMA VISITA PARA SURFARMOS JUNTOS!!!!

DOS AMIGOS BRASILEIROS!



Escrito por Bebeta às 21h53
[ ] [ ]


AQUECIMENTO ESPECÍFICO PARA KAYAKSURF

 

 Oferecimento:   

 

 

Texto: Paulo Lopes Surfista e Kayaksurfista Lic. em Educação Física

 

 

Como todos sabemos, o objectivo principal de um bom aquecimento antes de pagaiar para as esperadas ondas, é evitar uma inesperada lesão, que nos impeça de continuar a surfar nesse dia, nessa semana, mês ou ano, dependendo do tipo de lesão. E quem sabe uma eventual lesão a surfar, nos possa condicionar o ganha-pão durante os outros dias, impedindo-nos de desempenhar as funções habituais do nosso emprego.

Porque se deve aquecer antes de entrar na água e surfar:

O aquecimento é a primeira parte da actividade física e tem como objectivo preparar o canoista tanto fisiologicamente como psicologicamente para a actividade física. A realização do aquecimento visa obter o estado ideal psíquico e físico, prevenir lesões e criar alterações no organismo para suportar um treino, uma competição ou o lazer, mais ou menos “radical” onde o mais importante é o aumento da temperatura corporal.

O aumento da temperatura corporal resulta nos seguintes benefícios:

·         aumento da taxa metabólica;

·         aumento de fluxo sanguíneo local;

·         melhoria da difusão do oxigénio disponível nos músculos;

·         aumento da quantidade de oxigénio disponível nos músculos;

·         aumento da velocidade de transmissão do impulso nervoso;

·         diminuição do tempo de relaxamento muscular após contracção;

·         aumento da velocidade e da força de contracção muscular;

·         melhoria na coordenação;

·         aumento da capacidade das articulações no suporte de cargas.

Alguns destes benefícios reduzem o potencial de lesões, já que possuem a capacidade de aumentar a coordenação neuromuscular, retardar a fadiga e tornar os tecidos menos susceptíveis a danos. 

Devemos “avisar” e preparar o nosso sistema cardio-respiratório para o início do esforço e dar hipótese aos nossos músculos, tendões e articulações de se prepararem para movimentos que por vezes vão para lá daquilo que pensávamos conseguir sem nos aleijarmos (um bom aéreo, bem no limite ou mesmo um bom “tralho” falhando esse limite), quem já não mandou um valente terno e pensou que o melhor é descansar um bocadinho na areia…



Escrito por Bebeta às 10h56
[ ] [ ]


Preparação do sistema cardio-respiratório

 

Quando o mar está “um bocadinho zangado”, o melhor é começar com uma corridinha, com um ritmo lento, com tipos de deslocamentos diferentes (ex: corrida normal, lateral, para trás, etc.). Quando o mar, ou o spot assim o permite, nada como pagaiar alguns minutos antes de chegar ao ponto G, se não tivermos que enfrentar grande rebentação. Essas pagaiadas, poderão ser em diferentes sentidos, para a frente e também para trás (pagaiar para trás, reforça e desenvolve todo o grupo muscular que protege e envolve a delicada articulação do ombro, tão fustigada pelos praticantes de canoagem de uma forma geral).

 

 Exemplo de exercícios para aquecimento das articulações/tendões/grupos musculares - em todos os exercícios, a posição deve ser mantida sem insistências, nem movimentos bruscos. A posição extrema deve ser atingida sem dor (não forçamos tanto como quando treinamos a flexibilidade). Cada posição mantém-se por cerca de 30 a 40". Os exercícios dinâmicos também devem ser executados a uma baixa velocidade.



Escrito por Bebeta às 10h55
[ ] [ ]


1.Flexão do tronco à frente;
2. Hiper-extensão do tronco;
3. Elevação do joelho ao peito, fixando-o com as mãos ou braços;
4. Flexão da perna atrás;
5. Flexão lateral do tronco;
6. Rotação do tronco, mantendo a posição em cada extremo (durante esta rotação, devemos manter a cabeça sempre imóvel, por cima do ponto médio entre os pés);
7. Flexão dorsal do pé, estirando os gémeos;
8. Flexão do tronco à frente, a cada perna;
9. Extensão dos flexores e extensores das coxas;
10. Hiper-extensão dos ombros (e bicípedes);
11. Extensão dos tricípedes (e não só...)
12. Rotação dos ombros;
13. Extensão e flexão da musculatura ligada aos pulsos e antebraços.

Já devidamente equipados (atenção que é outro assunto delicado e que pode também prevenir eventuais lesões), podem-se sentar na vossa embarcação (em cima de areia claro) e flectir (à frente) a cabeça e o tronco, tentando chegar com as mãos ou pagaia bem lá a frente, efectuar o mesmo atrás e para os lados. Para terminar, podem efectuar uma lenta rotação à esquerda, tentando olhar e agarrar a parte de trás do kayak, repetindo o mesmo para o lado direito.

Atenção: foram abordados meros exemplos de como se deve efectuar um aquecimento antes de entrar para a água. Não devemos esquecer que também é importante alongar após a surfada.

Boas ondas! 



Escrito por Bebeta às 10h54
[ ] [ ]


A partir de hoje uma série de artigos sobre kayaksurf serão veiculados simultâneamente nos sites parceiros:

 

Já temos uma lista de matérias programadas para os próximos meses e você também pode contribuir nos enviando (pelo e-mail roberta@kayaksurfclub) qual o tema que gostaria de ler por aqui:

 

(    ) Segurança   (    ) Treinamentos específicos  (    ) Manobras  (    ) Equipamentos  

(    ) Competições   (    ) Viagens   (    ) Etiqueta do surf   (    ) Sua sugestão 



Escrito por Bebeta às 16h51
[ ] [ ]


 "Furar a onda em segurança"

TEXTO: Hugo Nascimento / RPF KAYAKS

 

Todos os desportos de ondas envolvem um risco associado - especialmente os ditos "radicais" -  e o Kayaksurf não é excepção. Por este motivo, há um conjunto de regras e equipamentos de segurança que não devem ser descurados nem esquecidos, sob pena de estragarmos um dia de prazer e diversão. A ausência destes pode mesmo adicionar alguma dor aos atletas e, em casos mais graves, proporcionar uma ida às urgências do hospital ou centro de saúde mais próximos.

 

 

Se há "manobra" que aprendemos rapidamente a fazer no kayaksurf é a de passar a rebentação. Como? - Tipicamente de três formas muito simples: subindo a onda, “furando-a” ou efectuar uma esquimotagem na altura da rebentação deixando que a onda passe por cima do equipamento e, depois, prosseguir a remada para o pico desejado.

 

Tudo vale para chegar aos melhores picos e poder surfar as melhores ondas e, dependendo da nossa posição em relação à onda, do seu tipo e tamanho, esta pode ser uma "manobra" mais ou menos arriscada. É essencial respeitar as regras de etiqueta do surf e de segurança da canoagem, colocando-nos sempre em segurança relativamente ao nosso equipamento e a quem nos acompanha no pico escolhido. Sempre que estivermos em rota de colisão com uma onda temos 4 opções:

 

  1. Dar meia volta e remar para tentar escapar ou até aproveitar a boleia da "espuma" da onda;
  2. Esperar que a onda quebre, para depois remar com toda a energia na direcção da "espuma" e saltar-lhe por cima;
  3. Esquimotar na altura da rebentação mas, atenção, evitar efectuar esta manobra na linha queda do lip da onda!!
  4. E, no caso de estarmos na zona de quebra da onda, tentar furar o lip, transformando o kayak num autêntico torpedo… sempre arriscado mas às vezes, lá terá que ser!

 

 

A 4ª opção é seguramente a mais espectacular, mas também a mais arriscada e com menor taxa de sucesso, pois nem sempre as ondas facilitam esta tarefa provocando algumas quedas e mossas tanto no equipamento como em nós próprios. Por esta razão há uma regra de segurança da canoagem e que deve ser usada sempre que tentamos algo do género, ou sempre que há o risco de colidirmos com uma massa de água a grande velocidade.

 

Antes de tentarmos furar uma onda e também nos casos onde somos projectados de uma onda, devemos colocarmo-nos sempre numa posição de segurança, baixando o tronco e a cabeça para a frente e afastando a pagaia de todas as áreas vitais do nosso corpo, face e cabeça. A pagaia deverá ser sempre colocada lateralmente, paralela ao kayak e num angulo de 90º com o nosso peito e os braços esticados de modo a que a pagaia e a proa do kayak sejam os primeiros a entrar em contacto com a água. Deste modo a superfície da pagaia é reduzida ao mínimo, eliminando o atrito que é gerado pela colisão na água a alta velocidade e que facilmente a pode projectar contra a nossa face ou cabeça.

 

Claro está que estas simples regras, em conjunto com a "Surf Etiquette", NÃO INVALIDAM, a utilização de capacete e de um colete salva-vidas, devidamente ajustados à função, tamanho e peso do kayaksurfista...mesmo em ondas pequenas é imprescindível não nunca descurar a segurança!!!



Escrito por Bebeta às 16h47
[ ] [ ]


VENDA DE CAIAQUE, REMO, COLETE, SAIA E FLUTUADOR!

(Pacote completo!)

O modelo abaixo é pouco conhecido no Brasil mas bastante usado na Europa e Estados Unidos.
O caiaque para surf classificado como "Internacional class" com comprimento que pode ser superior a 3m e sem quilhas, a grosso modo corresponde ao longboard no surf de prancha e é o modelo que está sendo oferecido pelo Bruno Theil de São Paulo - SP
 

 
"Estou pedindo R$ 1500 incluindo colete, dois remos em fibra de carbono,
flutuadores, saia especial Canoe seminova e lembrando que este
casco é aquele modelo produzido na Costa Rica"
 
Mais informações com Bruno:
 
Pra quem ainda não viu um modelos desses em ação segue abaixo as imagens do atleta carioca Gustavo Ennes em belo drop!

 

 



Escrito por Bebeta às 19h52
[ ] [ ]


PORTUGAL CRIA O 1º CLUBE DE KAYAKSURF DO PAÍS
 
 

WAVESURVIVORS CRIAM CLUBE 1º de KayakSurf em Portugal!

 

(Texto: Wavesurrvivors)

 

 

Após, durante algum tempo termos reflectido e discutido sobre o que poderíamos fazer pelo Kayaksurf, decidiram os WaveSurvivors constituir um Clube de Praticantes de KayakSurf! Sim isso mesmo!! A 27 de Agosto de 2008, deu-se formalmente a constituição do clube de praticantes WAVESURVIVORS KAYAKSURF CLUBE (WSKC), tendo sido homologado no Registo Nacional de Clube de Federações Desportivas a 8 de Setembro, supomos que é o primeiro em Portugal dedicado exclusivamente ao KayakSurf!


O nosso objectivo é um e só um divertirmo-nos enquanto promovemos a modalidade!

Assim daqui em diante novos desafios irão surgir, com o estabelecimento de parcerias, protocolos, patrocínios, e envolvimento, essencial, de todos os outros aficionados pelo Kayaksurf, pretendemos organizar uma “Kayak FreeSurf Session”, algumas “Kayaksurf Iniciation’s” com realização de actividades de iniciação e contacto com a modalidade, aos fins de semana na época balnear, em algumas das praias da Figueira da Foz, continuaremos a divulgação da modalidade através do Blog, e por fim iremos também constituir a equipa oficial WSKC (que mais tarde será apresentada), para participar no CNKS de 2009, quiçá em todas as categorias e provavelmente em uma prova no estrangeiro!!!


Entendemos que são objectivos ambiciosos, mas atingíveis com dedicação e empenho, e tudo faremos para que tenha sucesso!

 

http://www.wavesurvivors.blogspot.com/



Escrito por Bebeta às 10h36
[ ] [ ]


PRA QUEM:

Todos os associados KAYAKSURF CLUB  interessados em conhecer o modelo Shark fabricado em Portugal.

Para testar o caiaque é necessário conhecer as técnicas básicas da canoagem, já ter tido alguma experiência com o kayaksurf, conhecer a “etiqueta do surf” e usar os equipamentos de segurança: colete salva-vidas e capacete

(As regras visam a segurança dos associados KAYAKSURF CLUB!)*

COMO:

Entre em contato com o KAYAKSURF CLUB através do e-mail roberta@kayaksurfclub.com.br para combinar as datas. Formaremos grupos de até 3 canoístas

QUANDO E ONDE:

 Nos finais de semana - Praia da Baleia – São Sebastião – Litoral norte Paulista

INDICAÇÃO:

 Indicamos o modelo de caiaque Shark para aqueles que já possuem as técnicas básicas da canoagem, já praticaram esportes de ondas e querem ingressar ou se aperfeiçoar no kayaksurf. Para praticantes do kayaksurf que não tem o controle total da técnica do rolamento e se sentem inseguros nos modelos sit in tops (fechados) mas quer um caiaque ágil e manobrável nas ondas.  Vale lembrar que para quem já sabe fazer o rolamento o Shark é um equipamento muito fácil de rolar!

Obs.: Para testar o caiaque é necessário assinar o termo de responsabilidade e segurança KAYAKSURF CLUB

*Para aqueles que não tem experiência em canoagem, o Kayaksurf Club formatará clínicas para a introdução ao kayaksurf



Escrito por Bebeta às 11h05
[ ] [ ]


FOTOS DA COPA DO MUNDO DE KAYAKSURF 2008

Ile D’Oleron - França

 



Escrito por Bebeta às 20h53
[ ] [ ]


KAYAKSURF BRASILEIRO NAS TV’S

A medalha de bronze recém conquistada pela canoísta Roberta Borsari na Copa do Mundo de kayaksurf 2008 realizada na França, abriu as portas dos melhores programas de TV para o kayaksurf brasileiro e a nossa modalidade vem sendo divulgada  em diversos veículos de comunicação!

 

O kayaksurf foi destaque na home dos principais portais do país. Espaço nunca antes atingido pela modalidade!

www.globo.com

www.uol.com.br



Escrito por Bebeta às 19h08
[ ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Outros sites
 KAYAKSURF CLUB
 KAYAKSURF.NET - NEWS
 MEGA TEAM - Blog!
 KAYAKSURF CHILE - Blog!
 SURFZONE - Fórum!
 CBCA
 WAVES - previsão ondas
 WINDGURU - pvs. ondas
 WSKA
 HIDRO 2
 BRUDDEN
 CAIAKER
 GATH - Capacetes!
 MEGA KAYAKS
 WEBVENTURE
 WEATHER CHANNEL
 CLIMA TEMPO